Distúrbio do sono afeta 40% dos brasileiros, diz OMS

disturbio do sono

Distúrbio do sono afeta 40% dos brasileiros, diz OMS

A insônia é um problema que afeta 40% dos brasileiros, segundo estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS). Um dos distúrbios mais comuns do sono, a insônia pode ser caracterizada tanto pela dificuldade de iniciar o sono como de mantê-lo ou mesmo a percepção de que o sono não foi reparador.

A maioria dos insones sente fadiga, se cansa facilmente, tem ardência nos olhos, irritabilidade, ansiedade, fobias, incapacidade de concentrar-se, dificuldades de atenção e memória, mal-estar e sonolência. Muitos, entretanto, demoram a atribuir o mal-estar à falta de sono.

Pesquisa publicada em 1994 (Stoller) revela que o impacto econômico da insônia é de US$ 100 bilhões por ano, principalmente por causa de acidentes e perda de produtividade. Outra pesquisa, de 1995 (Kupperman), revela que o índice de faltas ao trabalho das pessoas que sofrem de insônia é maior, 41,4% contra 29% em comparação aos não insones.

O primeiro tratamento indicado para quem sofre de insônia é a chamada “higiene do sono”: parar de fumar, de beber em excesso e de fazer exercícios em horas inadequadas, como antes de deitar. O médico Carlos Viegas, do Laboratório do Sono da Universidade de Brasília (UnB), orienta que seus pacientes deitem apenas quando sentirem sono e que retirem do quarto o excesso de estímulos visuais, principalmente a televisão. “O ideal seria que o quarto tivesse somente a cama”, afirma.

Nos casos relacionados com ansiedade e depressão, a maioria dos médicos indica medicamentos que diminuam a ansiedade e alguns antidepressivos. Há pouco mais de um mês, um laboratório francês divulgou os resultados clínicos de um novo medicamento indutor do sono, o Zolpidem. De acordo com informações do próprio laboratório, foram feitos oito ensaios clínicos com a nova droga em mais de seis mil pacientes em todo o mundo.

A diferença entre o novo medicamento e as drogas disponíveis no mercado é que ele pode ser prescrito apenas quando necessário, de forma não-contínua, o que é ideal para quem não sofre de insônia todas as noites. A dependência química de quem tem insônia preocupa os médicos. Muitos afirmam que, após sete anos de uso contínuo de medicamentos para dormir, a estrutura do sono sofre mudanças irreversíveis.

O que é Distúrbio do sono?

Distúrbio do sono consiste nas dificuldades relacionadas ao sono. O sono tem quatro fases, e cada uma delas é responsável por uma atividade diferente. Dificuldades em qualquer uma das fases do sono pode trazer prejuízos a curto e longo prazo.

Entenda como funciona cada fase do sono:

  • Fase 1: Abrange 10% da noite. Nesta fase, ocorre a transição entre a vigília e o sono. Quando escurece, ocorre a liberação da melatonina no organismo, que induz a sonolência
  • Fase 2: Abrange 45% da noite. Na fase 2, diminuem os ritmos cardíaco e respiratório, os músculos relaxam e a temperatura corporal baixa. É a fase do sonho leve
  • Fase 3: Abrange 25% da noite. O corpo funciona mais lentamente e o metabolismo cai. O coração passa a bater em ritmo mais lento e a respiração também fica mais leve
  • Fase REM: Abrange 20% da noite. Esta é a fase do sono profundo. REM, em inglês, significa “Rapid Eye Movement” (movimento rápido dos olhos). É nesta fase em que ocorrem os sonhos, a pessoa tem descargas de adrenalina e há picos de batimentos cardíacos e pressão arterial.

Durante as três primeiras fases do sono, o corpo economiza energias, promove a restauração de tecidos, o aumento da massa muscular e libera o hormônio de crescimento. Já na fase REM, há a consolidação da memória e do aprendizado. Quando a pessoa está dormindo e é acordada, ela volta imediatamente à fase 1 do sono, comprometendo esse processo.

Mais de 100 distúrbios do sono e do despertar já foram identificados. Eles podem ser agrupados em quatro categorias principais:

  • Dificuldade de adormecer ou permanecer dormindo
  • Problemas para permanecer acordado
  • Problemas para conseguir manter uma rotina regular de sono
  • Comportamentos incomuns durante o sono.

 

 

Dificuldade para adormecer ou permanecer dormindo

A insônia inclui qualquer combinação de dificuldade para adormecer, para permanecer dormindo, falta de sono intermitente e despertar nas primeiras horas da manhã. Os episódios podem aparecer e desaparecer (transitório), durar até duas ou três semanas (curto prazo) ou ter longa duração (crônico).

Fatores comuns associados à insônia:

  • Doença física
  • Depressão
  • Ansiedade ou estresse
  • Ambiente insatisfatório para o sono (p. ex.: com barulho ou luz excessiva)
  • Cafeína
  • Álcool ou outras drogas
  • Uso de determinados medicamentos
  • Fumo em excesso
  • Desconforto físico
  • Cochilos durante o dia
  • Deitar-se cedo
  • Passar muito tempo acordado na cama.

Distúrbio do sono inclue:

  • Insônia psicofisiológica, uma condição em que o estresse causado pela insônia dificulta ainda mais o adormecer
  • Síndrome do atraso da fase do sono: seu relógio interno está constantemente fora de sincronia com as fases de dia e noite “aceitas”
  • Distúrbio do sono com dependência de hipnóticos: insônia que ocorre quando você para de tomar ou desenvolve tolerância a determinados tipos de medicamentos para dormir
  • Distúrbio do sono com dependência de estimulantes: insônia que ocorre quando você para de tomar ou desenvolve dependência a determinados tipos de estimulantes.

Dificuldade para permanecer acordado

Os distúrbios de sonolência excessiva são chamados de hipersônia. São eles:

  • Hipersônia idiopática (sonolência excessiva que ocorre sem uma causa identificável)
  • Narcolepsia
  • Apneia do sono central e obstrutiva
  • Distúrbio do movimento periódico dos membros
  • Síndrome das pernas inquietas.

Problemas para conseguir manter uma rotina regular de sono

Os problemas também podem ocorrer quando você não mantém uma rotina de sono e despertar consistentes. Isso ocorre durante viagens entre diferentes fuso-horários e com pessoas que trabalham por turnos em escalas alternadas, principalmente quem trabalha à noite.

Distúrbios de interrupção do sono:

  • Distúrbios da transição sonovigília
  • Síndrome do Jet lag
  • Pessoa que dorme pouco naturalmente (a pessoa dorme menos horas do que o normal, mas não apresenta sinais de doença)
  • Insônia paradoxal (na verdade, a pessoa dorme um número de horas diferente do que ela imagina)
  • Distúrbio do trabalho em turnos.

Comportamentos que perturbam o sono

Os comportamentos anormais durante o sono são chamados de parassônia e são muito comuns em crianças. São eles:

  • Terrores noturnos
  • Sonambulismo
  • Distúrbio comportamental do sono REM (um tipo de psicose na qual a pessoa “representa” seus sonhos de uma forma tão violenta que ela pode machucar a pessoa que dorme ao seu lado).

 

Tratamentos

Existem várias técnicas que são aplicadas nos tratamentos das apneias, variando conforme o caso:

  • Higiene do sono
  • Produtos terapêuticos
  • Tratamento com medicamentos
  • Tratamento cirúrgico

Fontes: http://noticias.terra.com.br/http://maisbahia.com.br/http://www.minhavida.com.br/

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Slider by webdesign