Saiba tudo sobre Insônia

Sinônimos de insônia: distúrbio do sono

A insônia é um distúrbio persistente que prejudica a capacidade de uma pessoa adormecer ou, ainda, de permanecer dormindo durante toda a noite. Pessoas com insônia geralmente começam o dia já se sentindo cansadas, têm problemas de humor e falta de energia e têm o desempenho no trabalho ou nos estudos prejudicado por causa deste distúrbio. A qualidade de vida da pessoa, em geral, costuma ficar comprometida pela insônia.

Muitos adultos apresentam insônia em algum momento da vida, mas algumas pessoas têm insônia crônica, que pode perdurar por um período de tempo muito maior do que o normal.

A insônia pode ser, ainda, um distúrbio secundário causado por outros motivos, como doença ou uso indevido de medicação.

Estresse

Preocupações relacionadas ao trabalho, estudos, saúde ou família podem manter sua mente ativa durante a noite, o que dificulta na hora de adormecer. Acontecimentos provocadores de grande estresse, como morte ou adoecimento de um ente querido, divórcio ou perda de emprego, também podem desencadear episódios de insônia.

Ansiedade

Ansiedade diária, bem como transtornos graves de ansiedade, como otranstorno de estresse pós-traumático, pode atrapalhar o sono. Preocupar-se com a dificuldade que terá para dormir também pode levar à insônia mais facilmente.

Depressão

Uma pessoa com depressão pode dormir mais do que o normal e pode também não conseguir dormir, simplesmente. Insônia é comum em casos de depressão.

Condições médicas

Dor crônica, dificuldade para respirar ou necessidade frequente de urinar podem levar à insônia. Exemplos de condições associadas à insônia incluem:

  • Artrite
  • Câncer
  • Insuficiência cardíaca
  • Doença pulmonar
  • Doença do refluxo gastroesofágico
  • Distúrbios da tireoide
  • AVC
  • Doença de Parkinson
  • Doença de Alzheimer

Mudança no ambiente ou horário de trabalho

Viajar ou alterar o horário de trabalho pode provocar uma mudança no ritmo cardíaco do corpo e no chamado “relógio biológico”, que dificulta o início do sono.

Maus hábitos de sono

Maus hábitos de sono também podem causar insônia. Estes incluem irregularidade do sono, como dormir e acordar em horários diferentes todos os dias; atividades estimulantes antes de deitar-se; dormir em ambientes inapropriados e desconfortáveis, como num lugar muito iluminado, dormir em frente à televisão ou dormir com a luz acesa.

Medicações

Muitos medicamentos podem interferir na capacidade de uma pessoa adormecer ou permanecer dormindo, incluindo antidepressivos, remédios para controle da pressão arterial, antialérgicos, estimulantes e corticosteroides. Outros medicamentos que contenham cafeína e outras substâncias estimulantes também podem desencadear em insônia.

Cafeína, nicotina e álcool

Café, chá, refrigerantes à base de cola e outras bebidas que contenham cafeína são estimulantes bastante conhecidos e comuns no dia a dia. Seu consumo não é proibido e não está diretamente relacionado à insônia, mas pode, eventualmente, ser um fator desencadeador do distúrbio. Beber café à noite, por exemplo, pode dificultar o início do sono. A nicotina em cigarros ou outros produtos derivados do tabaco é outro estimulante que pode causar insônia. O álcool pode até ajudar a dormir, mas impede os estágios mais profundos do sono e muitas vezes pode fazer com que uma pessoa desperte no meio da noite.

Comer muito tarde

Comer um lanche leve antes de dormir é recomendado, mas comer demais pode fazer com que uma pessoa se sinta fisicamente desconfortável na hora de deitar, o que pode dificultar na hora de adormecer. Muitas pessoas também apresentamazia e refluxo, que também prejudicam o sono.

Idade

A insônia pode, ainda, se tornar mais comum com a idade. Ruídos e outras alterações no ambiente podem despertar uma pessoa idosa mais facilmente do que alguém mais jovem. Com a idade, o relógio biológico muda, fazendo com que a pessoa se sinta cansada mais cedo à noite e acorde mais cedo na manhã. Apesar disso, idosos geralmente precisam da mesma quantidade de sono que pessoas mais jovens.Com o tempo, a pessoa pode se tornar menos ativa fisicamente ou socialmente. A falta de atividades diárias pode interferir em uma boa noite de sono, pois quanto menos ativa uma pessoa for, mais tempo ela terá para tirar sonecas ao longo do dia, o que dificulta na hora de dormir à noite.

Dor crônica e condições como a artrite ou problemas nas costas, bem como depressão, ansiedade e estresse, podem interferir no sono. Os homens mais velhos desenvolvem frequentemente um aumento da próstata, o que pode levar à necessidade frequente de urinar, interrompendo o sono. Nas mulheres, sintomas da menopausa podem ser igualmente perturbadores e podem impedi-las de ter uma boa noite de sono.

Outros distúrbios relacionados, como apneia do sono e síndrome das pernas inquietas, também se tornam mais comum com a idade. Além disso, as pessoas mais velhas normalmente fazem maior uso de medicamentos do que pessoas mais jovens.

Fatores de risco

Muitas pessoas podem apresentar um quadro de insônia ocasionalmente. Mas o risco de insônia é maior em:

Muitas pessoas podem apresentar um quadro de insônia ocasionalmente. Mas o risco de insônia é maior em:

  • Pessoas do sexo feminino. As mulheres são muito mais propensas a sofrer de insônia, principalmente por causa de mudanças hormonais durante o ciclo menstrual e na menopausa. A insônia também é comum com a gravidez.
  • Pessoas acima dos 60 anos de idade, devido principalmente às alterações nos padrões de sono e a problemas de saúde.
  • Pessoas com algum distúrbio de saúde mental, como depressão, ansiedade,transtorno bipolar e o transtorno de estresse pós-traumático são mais propensas a apresentar insônia.
  • Pessoas sob estresse. Fatos estressantes podem causar insônia temporária.
  • Trabalhar à noite ou viajar a trabalho, que envolva trocas frequentes de fuso horário.

sintomas

Sintomas de Insônia

Os principais sintomas de insônia podem incluir:

  • Dificuldade para adormecer à noite
  • Despertar durante a noite
  • Despertar muito cedo
  • Não se sentir descansado após uma noite de sono
  • Cansaço ou sonolência diurna
  • Irritabilidade, depressão ou ansiedade
  • Dificuldade para prestar atenção, concentrar-se em tarefas ou se lembrar de alguma coisa importante
  • Aumento do risco de acidentes
  • Dores de cabeça localizadas
  • Problemas gastrointestinais
  • Preocupações contínuas com o sono

Uma pessoa com insônia, muitas vezes, pode levar 30 minutos ou mais para adormecer e pode dormir por apenas seis horas ou menos a partir de três noites por semana por mais de três meses.

tratamento e cuidados

Tratamento de Insônia

Uma mudança nos hábitos de sono e tratar as causas subjacentes da insônia, como condições médicas ou medicamentos, pode restaurar um padrão de sono saudável em muitos pacientes. Se essas medidas não funcionarem, o médico pode recomendar medicamentos para ajudar com o relaxamento e na readequação do sono.

Buscando ajuda médica

Se você tiver sintomas de insônia e eles estiverem prejudicando suas atividades diárias e seu desempenho no trabalho ou nos estudos, procure um especialista para determinar o que pode estar causando o problema e saber como ele pode ser tratado.

Na consulta médica

Entre as especialidades que podem diagnosticar insônia estão:

  • Clínica médica
  • Neurologista
  • Medicina do sono
  • Psiquiatria

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Você tem tido problemas para dormir?
  • Quantas horas você costuma dormir por noite?
  • Você desperta facilmente durante a noite?
  • Você costuma alimentar-se em grandes quantidades antes de deitar?
  • Você faz uso excessivo de cafeína, nicotina ou álcool?
  • Você passou ou passa por momentos de grande estresse recentemente?
  • Quais são seus hábitos noturnos?
  • Você se sente cansado ou improdutivo durante o dia?
  • A falta de sono tem prejudicado seu desempenho em atividades diárias, no trabalho ou nos estudos?
  • Quando os sintomas começaram?
  • Você faz uso de algum medicamento? Qual?
  • Você já foi diagnosticado com alguma outra condição médica?
  • Você tomou alguma medida para aliviar os sintomas? E funcionou?

Diagnóstico de Insônia

Além de fazer-lhe uma série de perguntas, o médico analisará seu padrão de sono e sonolência diurna. Para isso, você talvez tenha de manter um diário de sono por um determinado período de tempo e depois apresentá-lo ao médico.

Ele provavelmente também fará um exame físico para procurar sinais de outros problemas que possam estar causando insônia. Ocasionalmente, um exame de sangue pode ser feito para verificar a existência de problemas de tireoide ou outras condições que podem estar por trás da insônia.

Se a causa da insônia não estiver clara, ou caso você apresente sinais de outro distúrbio do sono, como a apneia do sono ou síndrome das pernas inquietas, você pode precisar permanecer durante uma noite em um centro especializado para analisar e diagnosticar distúrbios do sono. Lá, os testes são feitos para monitorar e gravar uma variedade de atividades corporais enquanto o paciente dorme, incluindo as ondas cerebrais, respiração, batimentos cardíacos, os movimentos dos olhos e os movimentos do corpo também.

Fonte: http://www.minhavida.com.br/

fontes e referências

  • Revisado por: Dr. Luciano Ribeiro, neurologista e membro da Associação Brasileira do Sono (ABS) – CRM: 20350
  • Ministério da Saúde
  • Associação Brasileira do Sono

 

Continue lendo no portal:

http://www.minhavida.com.br/saude/temas/insonia

 

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. 23/04/2015

    Fatores comuns associados à insônia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Slider by webdesign